Morretes/PR

0
828
Rio Nhundiaquara que na língua indígena, significa "buraco de peixe", atravessa Porto de Cima e deságua no mar. Tem 12 km navegáveis e pode-se praticar esportes como a canoagem, o bóia-cross e a pescaria de anzol. Morretes (PR). Foto: Werner Zotz
SB post

Distante apenas 70 km de Curitiba, situada à beira do rio Cubatão e ao pé da Serra do Mar Paranaense, Morretes é uma cidade encantadora, de muita história e de natureza bem preservada. Para começar a sua viagem e aproveitar as belas paisagens dignas de cartão-postal, uma opção é pegar o trem e fazer o percurso pela centenária Estrada de Ferro Morretes-Curitiba, que atravessa todo o conjunto serrano. Você pode apreciar as belezas das montanhas e ter uma vista privilegiada do cânion Garganta do Diabo e da cachoeira Véu da Noiva. A natureza em Morretes encanta seus visitantes e oferece vários atrativos para a prática de ecoturismo e turismo de aventura. O Parque Estadual Pico do Marumbi, reconhecido pela Unesco como patrimônio mundial, abriga uma incrível paisagem de Mata Atlântica, várias trilhas, cachoeiras, e é o ponto ideal para a prática de montanhismo por oferecer vários graus de dificuldade e modalidades de escalada. Outro atrativo imperdível da região é conhecer a culinária típica, como o famoso barreado, prato de carne cozida em uma panela de barro durante quase 20 horas. A carne fica no ponto para ser desfiada e é servida com arroz, farinha de mandioca, bananas e laranjas.

Rio Nhundiaquara que na língua indígena, significa “buraco de peixe”, atravessa Porto de Cima e deságua no mar. Tem 12 km navegáveis e pode-se praticar esportes como a canoagem, o bóia-cross e a pescaria de anzol. Morretes (PR). Foto: Werner Zotz
Morretes é uma cidade que possui beleza natural: é rica em montanhas, serras, flora, fauna e rios com águas cristalinas, como rio Nhundiaquara que corta quase toda a cidade formando um conjunto com as árvores e edificações existentes em sua margem. Serviu como primeira via natural de penetração ligando o litoral ao planalto. É atualmente usado para prática de esportes como canoagem, bóia-cross e pescarias. Morretes (PR). Foto: David Rego Jr.
Dada a obrigatoriedade à prática religiosa na época pela coroa portuguesa, hoje Morretes possui igrejas importantes, como a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Porto, localizada no centro histórico da cidade, que possui em seu interior uma Via-Sacra a óleo executada pelo famoso pintor morrentense Theodoro de Bone. Em frente a igreja está instalado um sino vindo de Portugal, com o brasão do Império. Morretes (PR). Foto: David Rego Jr.
Parte baixa da queda da Cascata Véu da Noiva, onde há uma piscina natural ideal para mergulho, localizada no Parque Nacional de São Joaquim, em Urubici, Santa Catarina. A água desce suavemente sobre o rochedo ondulado, transformando-se numa espuma branca que, ao sol assemelha-se a um véu branco sobre a pedra escura. O local é ideal para prática de rappel principalmente para iniciantes. Urubici (SC). Foto: Beto Garavello.
Alguns turistas aproveitam passeio de barco enquanto outros remam seus caiaques nas águas do rio Nhundiaquara em Morretes, Paraná. O rio corta quase toda a cidade e serviu como primeira via natural de penetração ligando o litoral ao planalto. É atualmente usado para prática de esportes como canoagem, bóia-cross e pescarias. A Ponte Velha sobre o rio é vista como uma importante via de comunicação da cidade e possui importância histórica e turística no contexto de Morretes. Morretes (PR). Foto: David Rego Jr.
Parte baixa da queda da Cascata Véu da Noiva, onde há uma piscina natural ideal para mergulho, localizada no Parque Nacional de São Joaquim, em Urubici, Santa Catarina. A água desce suavemente sobre o rochedo ondulado, transformando-se numa espuma branca que, ao sol assemelha-se a um véu branco sobre a pedra escura. O local é ideal para prática de rappel principalmente para iniciantes. Urubici (SC). Foto: Beto Garavello.
Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome