Estado de São Paulo inicia fornecimento de Truvada à população

Medicamento oferecido para grupos de risco inova na prevenção contra HIV; distribuição será feita em unidades na capital e interior

0
263
Mesmo com tratamento de prevenção inovador, camisinha é indispensável
SB post

O Estado de São Paulo iniciou o ano ofertando à população uma prevenção inovadora no combate ao HIV. Por meio do SUS (Sistema Único de Saúde), é fornecido um novo medicamento, chamado Truvada. O item é distribuído como terapia pré-exposição (PrEP) e, com isso, aumenta a proteção das pessoas do grupo de risco. A iniciativa prevê, nos dois primeiros meses, a cobertura de 1.110 pessoas.

O novo modelo de prevenção é indicado a homens que fazem sexo com homens, mulheres transexuais, travestis, profissionais do sexo que tenham tido relações sexuais sem uso de preservativo nos últimos seis meses.

Também serão contempladas pessoas com episódios recorrentes de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), ou que tenham usado repetidamente medicamentos de profilaxia pós-exposição (PEP).

Poderão receber o remédio casais sorodiscordantes para o HIV (quando um parceiro tem o vírus e outro, não). Desde que tenham tido, ou mantenham, relações sexuais sem uso de preservativos. Para receber o Truvada, o interessado deve comparecer à unidade de referência e passar por avaliação para critérios de elegibilidade. Isso inclui também a realização de teste rápido diagnóstico de HIV.

Caso o resultado do exame seja negativo, e se encaixe nos critérios, o paciente será indicado a receber a PrEP. Em caso de positividade o paciente vai para tratamento e acompanhamento da infecção, como já prevê o fluxo da rede.

O Truvada é contraindicado para pessoas com doença renal. Porém, os locais de referência de cada cidade vão fazer avaliações médicas em todos que procurarem pelo tratamento. O medicamento pode ter efeito colateral leve, como dores de cabeça, náuseas e inchaço.

Aos pacientes que aderirem à terapia é recomendado o uso de preservativo durante as relações sexuais, pois a PrEP não protege contra outras doenças sexualmente transmissíveis. Além disso, o medicamento começa a fazer afeito a partir do vigésimo dia, para relação vaginal. E, para exposições por relações anal a proteção começa a partir do sétimo dia.

Durante o tratamento os usuários são acompanhados pelo serviço de referência. Após o início do tratamento, haverá retorno num período de 30 dias e, depois, a cada três meses.

A distribuição do Truvada na rede pública de saúde é um novo passo do ponto de vista preventivo. Contudo, é fundamental que as pessoas utilizem preservativos para proteger a si mesmas e seus parceiros.

Confira abaixo a relação de serviços que oferecem a PrEp

Capital

Centro de Referência e Treinamento DST/Aids.

Ambulatório de Infectologia da Unifesp

Casa da Aids

SAE (Serviço de Assistência Especializada) DST/Aids Butantã

SAE (Serviço de Assistência Especializada) Fidélis Ribeiro

SAE  (Serviço de Assistência Especializada) Ceci

CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) Pirituba

CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) Santo Amaro

Outros municípios

São Bernardo do Campo – Policlínica Centro

Santos – Serviço de Atenção Especializada-Adultos

Campinas – Centro de Referência em IST/Aids

Ribeirão Preto – Centro de Referência em Especialidades Central

Piracicaba – Centro de Doenças Infecto Contagiosas (CEDIC)

São José do Rio Preto – Ambulatório de Doenças Crônicas Transmissíveis

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome