O crescimento da agroecologia impulsiona o mercado de orgânicos

Antes limitados a feiras, os alimentos produzidos sem veneno começaram a ser vistos dividindo espaço com produtos industrializados nas gôndolas de supermercados.

0
357
SB post

15% da população urbana consumiu algum alimento ou bebida orgânico no último mês

Termos como “agroecologia”, “produção orgânica” e “agricultura familiar” passaram a fazer parte do vocabulário do consumidor brasileiro há pouco mais de 15 anos. A produção orgânica cresceu, e hoje representa uma boa fatia do arrecadamento da economia agrícola brasileira.

Um dos fatores que elevaram a importância da agroecologia foi a migração de produtores convencionais para a agricultura orgânica. Só de 2014 para 2015, o número deles aumentou 50%. Ainda assim, a área utilizada para produção não passa de 2% e a quantia de produtos orgânicos utilizados pelo brasileiro não chega a 5% do total de alimentos consumidos.

Segundo a pesquisa realizada pela Ornagis:
• 15% da população urbana consumiu algum alimento ou bebida orgânico no último mês
• Alface é o alimento mais consumido (1 em cada 3 consumidores), seguido pelo tomate (1 em cada 5) e verduras no geral.
• 6 em cada 10 consumidores consomem verduras orgânicas.
• Legumes e frutas são escolhas orgânicas para pelo menos 1 em cada 4

Motivos do crescimento

A setor da agroecologia já movimenta mais de 2 bilhões de reais por ano, mesmo ofertando produtos que são entre 10% e 40% mais caros que os convencionais.

Isso acontece porque eles são produzidos em menor escala, demoram mais para serem colhidos e demandam uma mão de obra maior. Mas então o que explica o crescimento?

Primeiramente, é preciso entender as expansões que a agroecologia teve no Brasil nos últimos anos. A primeira foi territorial, pois antigamente a produção orgânica era concentrada no Sul e no Sudeste. Hoje todos os estados possuem produtores dedicados à Agricultura Familiar.

A segunda expansão foi na diversidade de ofertas. Nos primeiros anos os produtos eram restritos às frutas, verduras e outros alimentos primários.

Agora há uma grande diversidade de ofertas, que vão dos frescos aos industrializados. Isso colabora para aumentar o prazo de validade, o tempo de prateleira etc. E, consequentemente, alcança mercados inexplorados até o momento.

Fatores de expansão

A entrada da região nordeste na produção orgânica e na Agricultura Familiar colaborou diretamente para a expansão da Agroecologia. Como os agricultores locais não usavam tecnologias recentes, foi mais fácil para que se adaptassem a esse estilo de produção.

Além disso, os estados do Nordeste têm uma grande tradição de feiras que dão espaço aos pequenos produtores. Para analisarmos o local de compra dos produtos orgânicos, no Nordeste os consumidores adquirem os produtos em: 53% em Supermercados e 42% em Feiras, comparado com a região Sudeste 69% em Supermercados e 22% em feiras. Segundo pesquisa Organis.

Outro fator para a expansão é o constante aumento da consciência ambiental da sociedade. Além do produto se mais saboroso ele contribui para proteção ambiental e sustentável, fixando o produtor no campo, com o fortalecimento da agricultura familiar.

Mais ligadas também às questões que envolvem a própria saúde, as pessoas passaram a se preocupar com o que comem. O entendimento de que a alimentação está diretamente ligada a certas doenças acabou ajudando no “boom” da agricultura orgânica. Mas talvez o fator mais importante tenha sido a criação de uma regulamentação oficial, que deu segurança para o investidor.

Agora ele tem a certeza de que pode gastar no processo de produção, pois há a lei para protegê-lo e o reconhecimento de que sua atividade é importante para o desenvolvimento da sociedade.

Oportunidades no mercado

A tendência é que a agroecologia cresça ainda mais, pois o cenário é favorável a isso. Atualmente, 70% dos alimentos consumidos no Brasil vêm dos pequenos produtores. Hoje, o governo audita os organismos que atuam no setor, garantindo a credibilidade necessária à expansão dos negócios.

A legislação soube criar condições para que tanto o grande produtor como o pequeno possam atuar em um ambiente de competição justa. A tendência é aumentar a produção de produtos orgânicos e agroecológicos com a agricultura familiar.

A principal barreira para aquisição de produtos orgânicos são: preço e pontos de vendas. As feiras orgânicas vêm aumentando em São Paulo, para encontrar uma feira próxima de você, acesse nosso artigo de Feiras Orgânicas em São Paulo.
http://www.sitiopema.com.br/feira-organica-em-sao-paulo/

Uma das alternativas é a venda direta do produto para o consumidor com entregas programadas, isso vem se tornando uma alternativa nas principais capitais.

Website: http://www.sitiopema.com.br

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome