Projetos culturais fomentados pelo PROFAC já circulam pela cidade de Mogi das Cruzes

0
369
Arte e Cultura de Mogi das Cruzes (PROFAC)
Divulgação/com Lelê e Lili e Cia
SB post

O Programa de Fomento à Arte e Cultura de Mogi das Cruzes (PROFAC), instrumento de fomento a projetos e territórios culturais do município, já rende bons frutos, com diversas iniciativas artísticas em andamento. São 12 as ações culturais em execução ou em fase de articulação, graças aos recursos transferidos a partir da primeira etapa do programa.

Desse total, cinco são do segmento de artes cênicas e uma delas, inclusive, vai se apresentar no Festival de Inverno Serra do Itapety 2018, que chega neste ano à sua décima edição. É o projeto Medeia (I) Material, proposto por Priscila Nicoliche e a Associação Cultural Quântica Laboratório de Arte Contemporânea.

Trata-se de um espetáculo de artes cênicas, cuja dramaturgia se apropria do mito de Medeia, em especial a obra “Margem Abandonada Medeamaterial Paisagem com Argonautas”, de Heiner Muller, além de um fragmento do texto “Cachorro Morto da Lavanderia: os Fortes”, de Angelica Lideal. A peça deve ser apresentada no dia 13 de julho, uma sexta-feira, a partir das 20 horas, no Centro Cultural de Mogi das Cruzes.

Outro projeto da área de artes cênicas, que está em fase de ensaios e tem três apresentações previstas, é “Memórias de Eva e Lilith”, proposto por  Maria Waleska Firmino Pinto, também da Associação Cultural Quântica Laboratório de Arte Contemporânea. Com  temática feminista, a montagem mostra, ao longo de uma hora, a trajetória das personagens nomeadas no título.

Lilith passou para a mitologia e para a História como modelo de mulher liberta, dona de sua própria vontade. Já Eva é submissa a Adão mas, mesmo assim, culpada pela perda do Paraíso. Ambas desenvolvem amizades com artistas sensíveis aos assuntos do gênero feminino e são as lembranças dessas amizades, colecionadas sob forma de fotografias, cartas e recortes de seus álbuns, que Eva e Lilith compartilham com o público.

O espetáculo já foi apresentado em livrarias, escolas de dança, locais privados e fez inclusive parte da programação do 9º Festival de Inverno Serra do Itapety.

“O Circo de Brinquedo do Palhaço Melancólico” é mais um dos projetos aprovados pelo PROFAC, que está em fase de ensaios e tem apresentações agendadas em bairros da cidade e também no Centro, no Largo do Rosário. Nos próximos dias 13 e 20, aliás, a iniciativa fará ensaios abertos no Centro Cultural de Mogi das Cruzes.

Trata-se de um espetáculo de rua do grupo de artes integradas Circolo Livre de Atuadores, que carrega a proposta de um processo de criação aberto ao público, com o objetivo de despertar a sensibilidade artística e incentivar a formação de público. O projeto, que também inclui a oferta de palestras e workshops para a população, possui fundamentação teórica na Pedagogia do Palhaço, dissertação de mestrado do autor e ator do espetáculo, na qual o palhaço é apresentado como um mediador de um novo caminho para a arte e para a educação.

Os outros dois projetos cênicos com recursos garantidos pelo PROFAC e que estão em fase de desenvolvimento por parte de seus criadores e organizadores são “Com Lelé e Lili e Companhia, Hoje é dia de Alegria”, assinado por Denise Andere e “Nuviô ou Quero Cê Balão”, proposto por Rodrigo Romão Batista, da Cooperativa Paulista de Teatro.

O primeiro parte da já conhecida trupe de recreação e animação infantil Lelé Lili & Cia., que há anos se faz presente em eventos, festas infantis, oficinas culturais, contação de histórias e espetáculos, sempre apresentando Lili no teclado ou craviola, garantindo a trilha sonora e a palhaça Lelé garantindo a diversão da garotada, com as esquetes teatrais.

O segundo projeto, também já apresentado no município, propõe o diálogo com a primeira infância e revela a saga de um quase-palhaço, apelidado de Benjamin, que se aventura a buscar um balão, uma pipa, um pássaro, um avião e símbolos que se sustentam ao alto, como forma de representar e questionar se os itens que não podemos ter em mãos devem viver somente na imaginação.

Literatura, cinema, dança e patrimônio

Além dos cinco projetos de artes cênicas, existem ações de outros cinco segmentos culturais que também estão em andamento graças ao apoio viabilizado pela legislação municipal de fomento.

Da área de mostras e festivais, existe o projeto da 1ª Mostra do Corpo Contemporâneo, articulado por Fernanda Moretti, que deve reunir em um final de semana apresentações de dança contemporânea, improvisação, performances e intervenções em locais que permitem a interação direta com a comunidade. A mostra deve acontecer no mês de agosto e as inscrições estão abertas a partir desta sexta-feira (08/06). Os interessados devem acessar o sistema online de inscrições.

Já do segmento de literatura e publicações, o projeto aprovado é o livro “O Padre e os Outros”, da autora Míriam Amélia, que tem como cenários vários ícones históricos de Mogi das Cruzes e do Brasil, entre eles a Festa do Divino Espírito Santo e um episódio referente ao cotidiano dos primeiros habitantes de Mogi.  Para o lançamento, a escritora deve promover uma noite de autógrafos dentro do projeto Terças Literárias e também ministrar oficinas em escolas da rede pública da cidade.

Já na linguagem do cinema, vídeo e multimeios, o projeto aprovado e já em execução é o “Cine Combuca”, que promove sessões de cinema em espaços públicos, como praças e ruas. Entre abril e maio, o projeto já circulou por bairros como Vila Estação, Conjunto Habitacional Vereador Jefferson da Silva e o Barroso, no distrito de Quatinga.

Da dança, as duas ações que agora se concretizam são o projeto “Raízes de Gaya”, idealizado pelo Coletivo Cultural Flores de Lótus, que tem como propósito a montagem e circulação de um trabalho de dança circular, que convida o público a um ciclo de reflexões. O projeto já realizou dois ensaios abertos, nos dias 12 e 26 de maio e os próximos passos são três apresentações, que acontecerão neste sábado e depois nos dias 23 de junho e 7 de julho. A primeira e última serão no Parque Centenário e a do dia 23 acontecerá no Parque da Cidade, com horário sempre das 9h às 12h.

Outro projeto do segmento de dança e que em breve começará a circular pelas escolas da cidade é “Balaio de Gato”, assinado por Beatriz Santana Pozo e que tem como intuito quebrar rótulos em se tratando de categorias de dança.

O segmento de patrimônio histórico e cultural também foi contemplado pelos editais da primeira etapa do PROFAC e resultou na aprovação do projeto “Circuito Histórico Artístico Mogiano”, assinado por Rodolfo Médici de Souza e que tem como proposta a utilização das artes cênicas como ferramenta de resgate do patrimônio histórico e artístico imaterial de Mogi das Cruzes, por meio de intervenções em museus da cidade, como Visconde de Mauá, Guiomar Pinheiro Franco e o Centro de Cultura e Memória Expedicionários Mogianos. (Lívia de Sá)

Conheça o portal de anúncios Será que Tem?

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome