Tipos de anestesia utilizados em cirurgia plástica

0
59
Dúvidas tipos de anestesia
Créditos da imagem: shutterstock.com
SB post

Esse processo é mais simples e seguro do que você imagina. Tire todas as suas dúvidas sobre esse procedimento.

Muitas mulheres tem o sonho de realizar uma cirurgia plástica. Seja ela para remodelar a barriga, aumentar os seios ou fazer um lifting facial, qualquer um deles a anestesia se mostra extremamente necessária. Porém, para algumas mulheres, a anestesia é motivo de pânico e insegurança.

A anestesia é um processo básico em qualquer tipo de cirurgia, seja ela plástica, cardíaca ou minimamente invasiva, em praticamente todos os casos, a anestesia é necessária.

Isso porque, muitas delas, são necessários abrir incisões no paciente ou são procedimentos incômodos, que geram muitas dores ao paciente. E além do desconforto, pode deixar o paciente ansioso, assustado, levando a uma parada respiratória ou até mesmo coisas piores.

A anestesia tem efeito analgésico, o que diminui a sensibilidade da dor. Assim a pessoa pode realizar a cirurgia sem sentir desconforto.

Existem diversos tipos de anestesia, o que pode confundir os pacientes que não estão familiarizados com ela.

Para saber quais são os tipos de anestesia utilizadas e quais são as suas diferenças, leia esse artigo que preparamos para você.

 

O que é a anestesia?

A anestesia é um procedimento feito antes da cirurgia, a fim de bloquear a dor sentida durante os procedimentos cirúrgicos. Isso permite que o indivíduo faça a cirurgia sem passar por momentos de desconforto e angústia.

Esse processo, induz temporariamente a perda da sensibilidade temporária dos músculos causando a perda da consciência (analgesia) e bloqueando o estímulo da dor no cérebro.

Pessoas que passam por esse processo são devidamente monitoradas, onde é observado seu estado fisiológico para que ela não recupere esse “sentido” no meio do procedimento, transformando em um processo seguro.

O anestesista (o profissional que aplica e controla a aplicação da anestesia) em casos de cirurgias maiores e mais longas, faz a verificação de alguns dados durante o procedimento, como:  ecocardiograma (ECG), pressão arterial, nível de oxigenação sanguínea e temperatura corporal.

Ela são classificadas em duas categorias: geral e locoregionais. As gerais atingem o corpo inteiro, tira a sensibilidade, provoca inconsciência, fazendo o bloqueio muscular. As locoregionais o efeito é somente na região aplicada e não envolve perda de consciência.

 

Tipos de anestesia

 Existem diversos tipos de anestesia, que variam de acordo com o paciente e o procedimento realizado. Elas podem ser divididas em: anestesia geral, anestesia peridural, anestesia raquidiana e anestesia local.

 

Anestesia geral

A anestesia geral é um processo indicado para cirurgias mais complexas, quando anestesiar apenas uma parte do corpo não é suficiente.  Nessa cirurgia, o paciente permanece inconsciente, imóvel e as vezes entubado. Por fazer um bloqueio neuromuscular, o paciente não é capaz de sentir dor.

A anestesia geral é um método muito seguro, amplamente testado e aprovado. Entretanto, muitos pacientes ainda têm medo desse procedimento.

Geralmente, as complicações causadas em cirurgias de grande porte que utilizam a anestesia geral, não são causadas pela anestesia em sí, mas por complicações do próprio paciente.

Alguns exemplos são doenças cardíacas, problemas renais, hepáticos e pulmonares. Pode ocorrer também em consequência da cirurgia, como em sangramentos e falência de órgãos.

Casos de complicações que envolvem essa cirurgia, são raros e ocorrem em apenas um para cada um milhão de casos. Por isso, é indicado ficar tranquilo e conversar com o seu médico.

 

Anestesia regional  

Esse processo é utilizado em casos mais simples, o paciente permanece acordado durante o procedimento. Ele é capaz de bloquear a dor de determinada região do corpo.

A anestesia regional pode ser dividida em dois grupos: raquidiana e peridural.

 

  • Raquidiana: nesse tipo, é utilizada uma agulha de pequeno calibre que irá atingir o espaço subaracnóide, dentro da coluna. O anestésico é então injetado, provocando um relaxamento muscular. Esse bloqueio ocorre devido o bloqueio dos nervos que passam pela coluna lombar e bloqueando os estímulos antes de chegar ao cérebro.

 

  • Peridural: Esse tipo é muito parecido com o anterior, todavia apresenta algumas diferenças. Nesse método o anestésico é injetado constantemente através de um cateter ao redor do canal da espinha. Nesse tipo a quantidade de anestésico recebido é muito menor, geralmente é utilizado em parto normal.

 

Nesses dois pode haver dor de cabeça devido ao extravasamento da substância na região.

 

Anestesia local

É o tipo de anestesia mais comum, utilizada para bloquear uma área específica do corpo. Geralmente ela é feita com uma injeção de lidocaína. Ela vai bloquear a dor de áreas pequenas e pode ser feita em gel ou spray. Ela bloqueia os receptores de dor da pele e impede que o sinal seja mandado pra o cérebro.

 

A anestesia traz algum risco a saúde do paciente?

São raros os riscos em que a pessoa sofre alguma complicação que envolve anestesia. Quando é feita pelo profissional adequado, no local certo e com todos os instrumentos necessários, não é preciso ter medo algum. Como dito anteriormente, a maioria das complicações não envolve a anestesia, mas sim a própria cirurgia. Geralmente, o que pode ocorrer, é o paciente sentir náuseas ou vomitar após a anestesia.

Para realizar o procedimento cirúrgico é aconselhado o jejum, pois os mecanismos de evitar regurgitação são bloqueados com a anestesia. Com isso pode haver um refluxo e o conteúdo será aspirado pelos pulmões. Caso o paciente tenha comido, o anestesista pode interromper o procedimento e tomar medidas de precaução. Por isso é importante manter o estômago vazio antes de realizar qualquer procedimento cirúrgico.

 

Contraindicação

Pessoas que têm processos alérgicos à anestesia ou à algum componente do fármaco, não devem realizar o procedimento sem consultar o especialista. Pacientes grávidas, durante a amamentação ou indivíduos que possuem asma devem ser acompanhados pelo médico responsável. O paciente que apresente resfriado, febre infecção ou problemas cardíacos não devem realizar essa intervenção. Para saber se você pode realizar este procedimento o ideal é procurar o seu médico.

 

É possível voltar a atividade normal após o procedimento?

A volta as atividades normais varia de acordo com qual procedimento foi realizado. Em relação a anestesia, ela é eliminada do corpo algumas horas após ser aplicada. É aconselhado não realizar atividades logo após esse procedimento.

 

É possível acordar durante o procedimento?

Essa é uma dúvida que muitas pessoas e a resposta é simples, isso não é possível. Todas as atividades do paciente são controladas, a fim de evitar que o paciente acorde e permaneça inconsciente durante todo esse procedimento.

O anestesista permanece na sala e monitora todos os aparelhos para garantir a segurança do paciente.

 

Tirou todas as suas dúvidas sobre anestesia? Diga o que achou nos comentários. Para mais notícias como esta, continue acessando nosso site e não perca mais nenhum artigo!

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome