Galaxy Z Fold2: conheça o modelo futurístico da Samsung

0
15
Galaxy Z Fold2_ conheça o modelo futurístico da Samsung
Segunda geração do dobrável sugere substituir a linha Note atual
SB post

O anúncio do Galaxy Fold em 2019 levantou várias suposições sobre o futuro dos smartphones e sua diferença de uso quanto aos tablets. A linha Samsung Galaxy Note deve passar por mudanças consideráveis com a nova geração do Galaxy Fold, que promete ter compatibilidade com a caneta S Pen, que auxilia na produtividade e permite o uso de aplicativos de uma forma mais dinâmica.

Projetado para ser um smartphone premium completo e com uma tela de tamanho suficiente para desbancar a de todos os concorrentes, o Galaxy Z Fold2 chega em 2021 com melhorias na sua carcaça, além de indicar os próximos passos da Samsung em seus aparelhos híbridos.

A seguir, você faz um passeio completo pelas principais funcionalidades do novo modelo e apostas para o mercado de smartphones que não para de surpreender.

Galaxy Fold: o que deu certo e o que precisou ser revisto

Quem tem idade suficiente para se lembrar dos celulares dobráveis dos anos 2000 não se surpreenderia com as suposições de que a Samsung estaria prestes a lançar um celular dobrável em 2019. Afinal, a própria marca era uma das líderes de mercado desses modelos na época.

Mas como seria um smartphone dobrável em 2019, quando as telas touch já eram algo habitual? A surpresa veio com o Galaxy Fold, um smartphone com uma tela ocupando toda a frente do aparelho, como um smartphone comum, mas que, ao ser aberto como um livro, revelava uma tela de 7,3 polegadas de AMOLED.

Seu hardware potente o fez um dos modelos mais avançados de 2019 e 2020, mas sua dinâmica de uso e resistência ainda precisava ser melhorada, principalmente com relação à tela.

Galaxy Z Fold2: o futuro da linha Galaxy Note

Reconhecendo os erros passados, a Samsung anuncia o Galaxy Z Fold2, uma nova versão do smartphone dobrável, com as melhorias necessárias e uma experiência satisfatória que já consegue substituir modelos de uso similar.

Uma das grandes questões com relação ao Galaxy Z Fold2 é se ele é um celular ou um tablet. Embora ele possa ser usado aberto ou fechado, a experiência de uso com a tela aberta é muito superior, incentivando que o usuário feche o aparelho apenas para guardá-lo.

Outro fator é que ele ainda permanece com uma espessura considerada grande para os padrões atuais de um smartphone, e, ao ser guardado no bolso ou na bolsa, é possível que objetos penetrem pelas laterais, podendo causar danos à tela, que, embora otimizada, ainda é mais frágil que as demais.

Tela

Um dos grandes problemas da geração passada do Fold foi a tela. Jornalistas que receberam as primeiras unidades dos aparelhos tiveram inúmeros problemas com manchas, rachaduras e até mesmo perda da funcionalidade da tela, devido à remoção da película protetora.

No Galaxy Z Fold2, a película está integrada com as bordas do aparelho, tornando impossível a sua retirada. Isso é um ponto positivo para a durabilidade do aparelho, que, mesmo ainda frágil, recebeu um reforço para aguentar a realidade de uso no dia a dia.

A taxa de atualização de 120 Hz garante uma fluidez incrível nos gráficos, algo que pouquíssimos modelos vendidos atualmente oferecem.

Estrutura

A lateral recebeu uma treliça reforçada, tornando o ato de abrir e fechar o aparelho mais suave, e uma proteção extra para impedir que poeiras, pequenos grãos e outras sujidades entrem no aparelho.

Câmeras e desempenho

Enquanto as lentes de selfie ficam mais evoluídas em aparelhos mais atuais, no Galaxy Fold2 elas se tornam um item não tão essencial. Com o smartphone aberto, é possível usar a tela externa como visor, usando o conjunto triplo de câmeras traseiras de 12 MP para registrar imagens em primeira pessoa.

É bom ressaltar que as câmeras, embora de excelente qualidade, não são o foco desse modelo, ou seja, não tem comparação com os 108 MP presentes nas câmeras do Galaxy Note 20, por exemplo.

O sistema operacional é o Android, que ainda precisa evoluir muito na experiência de uso com tablets e modelos dobráveis. Porém, os 12 GB de RAM presentes no aparelho e seus 256 GB de armazenamento garantem rodar jogos e aplicativos super pesados, sem problemas de fluidez.

Com essas características, o Galaxy Z Fold2 é um excelente aparelho e que tem tudo para substituir os modelos Note a partir dos próximos anos. Mas a Samsung ainda deve investir em telas mais resistentes, melhorias de sistema, que dependem também do Google, e no design geral do aparelho, deixando-o mais confortável para uso fechado.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome