Novo modelo de BPO mira pequenas e médias empresas do mercado brasileiro

Resultado da fusão entre a Via Indicadores, que atende o varejo em geral, com a CSC.educ, dedicada a instituições de ensino, a Via CSC já nasce com mais de 150 clientes e a previsão é de dobrar esse número em seu primeiro ano de existência. A ideia é investir mais de R$ 2 milhões no novo negócio.

0
277
SB post

Não é novidade que o Business Process Outsourcing (BPO) tem ganhado cada vez mais espaço nos variados segmentos do mercado nacional. Para se destacar frente a esse avanço e com objetivo de oferecer um serviço inovador para pequenos e médios negócios, a Via CSC, uma empresa de soluções em tecnologia e serviços, apresenta ao mercado brasileiro um modelo de BPO diferenciado, inspirado em companhias internacionais.

Resultado da fusão entre a Via Indicadores, que atende o varejo em geral, com a CSC.educ, dedicada a instituições de ensino, a Via CSC já nasce com mais de 150 clientes e a previsão é de dobrar esse número em seu primeiro ano de existência. Os planos são de atingir 3.000 clientes em 2022. De acordo com o presidente da nova companhia, Rodrigo Martins, a estimativa é que esse prazo seja, inclusive, até mais curto. “Estamos otimistas com o novo negócio e trabalhando bastante para que, até o final de março, a integração já tenha sido feita por completa. A partir daí, uniremos as forças para conquistar novos clientes e divulgar nossas soluções e novos serviços”, comenta Martins.

O modelo da nova empresa é inspirado em companhias de BPO internacionais que atendem grandes corporações, mas com um grande diferencial – uma plataforma tecnológica para a gestão do dia a dia e que conta com uma poderosa interface de indicadores. O objetivo é oferecer uma solução completa para gestão de back office, no entanto, ao contrário dos modelos tradicionais de BPO, possibilita escala ao negócio e proporciona um ticket extremamente competitivo para o cliente final.

Aos 43 anos, com experiência na área de tecnologia, Rodrigo Martins diz que, neste primeiro ano, a Via CSC deve investir mais de R$ 2 milhões. Com a fusão, ele calcula que o poder de investimento em desenvolvimento tecnológico se amplia em dez vezes. “Apresentamos ao mercado uma plataforma de serviço inovadora e queremos que mais empresas tenham acesso a essa novidade. Nosso objetivo é automatizar todos os processos para conseguir cada vez mais escala, estou confiante que 2018 será um ano promissor para nós”, finaliza Martins.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome