Ética deve ser trabalhada em sala de aula, afirmam educadores

Clóvis de Barros foi um dos palestrantes do evento promovido pelo Sistema Positivo de Ensino em Belo Horizonte

0
250
Ética deve ser trabalhada em sala de aula, afirmam educadores
SB post

Gestores e docentes de escolas mineiras conveniadas ao Sistema Positivo de Ensino participaram, em Belo Horizonte, do evento Um Dia Positivo!, promovido pela Editora Positivo. Na programação, os temas e palestrantes levaram à reflexão sobre a educação atual e como encontrar soluções para as situações enfrentadas pelas escolas. O objetivo do evento foi dialogar com quem vive a rotina de professores e alunos. “Com tantas mudanças na sociedade e na educação, quando se trata de mediar o conhecimento, não se pode permanecer parado no mesmo ponto. É preciso refletir, conhecer e discutir para avançar”, afirmou a diretora pedagógica da Editora Positivo, Acedriana Vicente Sandi.

Segundo ela, com inúmeros fatores influenciando de forma cada vez mais veloz as práticas em sala de aula, o debate entre especialistas, gestores e professores é muito importante para garantir que todas essas mudanças sejam, de fato, colocadas em prática. O jornalista, filósofo e professor, Clóvis de Barros Filho, foi um dos palestrantes e comandou o debate sobre ética. O filósofo destacou que a educação é o caminho para a sociedade se tornar ética e está diretamente ligada à conquista de uma sociedade mais feliz. “Ética é descobrir, individual e coletivamente, a melhor forma de viver e conviver. Logo, não há felicidade sem ética”, afirmou Clóvis.

De acordo com o filósofo, a busca da felicidade não é algo possível de se conquistar isoladamente. “Apesar de ser algo pessoal, o caminho que nos leva à felicidade é repleto de experiências e conquistas de habilidades difíceis de acontecerem quando pensamos e agimos de forma isolada. Se por um lado, felicidade é coisa de cada um, chegar até ela de maneira egoísta e desconsiderada representa um entrave. Se somos animais políticos, logo sociais, o egocentrismo tende a prejudicar o outro, dificultando a sua felicidade. Em outras palavras, uma sociedade altruísta tem mais potência de felicidade que uma felicidade egoísta”, destacou.

Para o filósofo, em tempos de Lava Jato e com os cidadãos brasileiros cobrando cada vez mais condutas corretas de seus representantes, a discussão sobre ética não pode ficar restrita apenas à questão política. “Para alcançarmos de fato uma sociedade integralmente ética, esse tema deve ser trabalhado também nas escolas a fim de promover o despertar da consciência ética nas crianças e jovens”, ressaltou. A diretora e mantenedora do Colégio Sei, de Boa Esperança (MG), Magda Carvalho Vilela Brito, concorda com o palestrante. No colégio de Magda, a ética é trabalhada dentro da disciplina de filosofia, a partir do Ensino Fundamental 1. “Quando tentamos despertar a consciência de nossos alunos para a questão, a resposta é sempre positiva. Por isso, é tão importante manter a discussão nas salas de aula”, reforça Magda. Para Clóvis de Barros, discutir diariamente sobre ‘o que é certo’ é bastante positivo e, ainda que haja bastante discordância sobre, afinal, o que é a coisa certa, isso é mais do que natural em toda discussão moral. “Mas disso tudo, o que mais importa será, sem dúvida, a inclusão da reflexão moral no sistema educacional. Uma sociedade ‘vira’ ética a partir da educação e do livre pensamento”, finalizou.

Sobre a Editora Positivo

Fundada em 1979, a Editora Positivo tem a missão de construir um mundo melhor por meio da educação. Tendo as boas práticas de ensino como seu DNA, a Editora especializou-se ao longo dos anos e tornou-se referência no segmento educacional, desenvolvendo livros didáticos, literatura infantil e juvenil, sistemas de ensino e dicionários. A Editora Positivo está presente em milhares de escolas públicas e particulares com os seus sistemas de ensino. Amplamente recomendados pela área pedagógica e reconhecidos pelos seus resultados, os sistemas foram criados de modo a atender a realidade de cada unidade escolar. Mais de 800 mil alunos utilizam os sistemas de ensino da Editora Positivo, em escolas públicas e particulares, no Brasil e no Japão.

Sobre o Sistema Positivo de Ensino

É o maior e mais tradicional sistema voltado ao ensino particular no Brasil. Com um projeto sempre atual e inovador, ele oferece às escolas particulares diversos recursos que abrangem alunos, professores, gestores e também a família do aluno com conteúdo diferenciado. Para os estudantes, são ofertadas atividades integradas entre o livro didático e plataformas educacionais que o auxiliam na aprendizagem. Os professores recebem propostas de trabalho pedagógico focadas em diversas disciplinas, enquanto os gestores recebem recursos de apoio para a administração escolar, incluindo cursos e ferramentas que abordam temas voltados às áreas de pedagogia, marketing, finanças e questões jurídicas. A família participa do processo de aprendizagem do aluno recebendo conteúdo específico, que contempla revistas e webconferências voltados à educação. Presente em 1.890 escolas e atendendo mais de 500 mil alunos em 950 municípios do território nacional, o Sistema Positivo de Ensino está presente em 208 escolas de Minas Gerais, atendendo 50 mil alunos do Estado. Em Belo Horizonte, são 31 escolas conveniadas e mais de 6.700 alunos atendidos.

Entre as escolas conveniadas em minas Gerais, estão:

Colégio Berlaar Imaculada Conceição – Montes Claros
Colégio Berlaar N. Senhora do Patrocínio – Patrocínio
Colégio Coração de Estudante – Belo Horizonte
Colégio Mais – Uberlândia
Colégio Nossa Senhora das Graças – Patos de Minas
Colégio Presbiteriano – Governador Valadares
Colégio Sant Ana – Itauna
Escola Educação Criativa – Ipatinga
COTEMIG – Belo Horizonte
Gammon – Lavras
Instituto Neuza Dutra – Betim
Instituto Pedagógico Crescer – Contagem
Instituto N. S. do Sagrado Coração – Divinópolis

Conheça o portal de anúncios: Será que tem?

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome