Vale a pena ser Professor de Escola Pública no Brasil?

0
391
Vale a pena ser Professor de Escola Pública no Brasil?
SB post

A docência é uma profissão de risos e lágrimas, glória e penúria, altos e baixos: simultaneamente, é uma das mais reconhecidas e uma das mais mal pagas; das mais lembradas – mas mais evitadas. Quanto dessa realidade é igual para um professor de escola pública e um de escola particular?

Não se deixe levar pelo senso comum! Aqui vamos analisar ambos os lados da profissão, para jamais ter que se pautar pela “grama do vizinho” e saber qual caminho escolher – leia o post e não deixe mais dúvidas e incertezas determinarem seus pensamentos sobre sua carreira!

PONTOS COMUNS ENTRE O PROFESSOR DE ESCOLA PÚBLICA E O DE PARTICULAR

Em geral, o imaginário social costuma pesar quando se trata do trabalho na educação pública. Afinal, situações como a inação dos governos e os relatos de violência perpetuam uma má fama. Apesar disso, é enganoso pensar que as dificuldades recaem apenas sobre os funcionários públicos.

Questões como a desconcentração dos alunos e o “roubo da atenção” pelas tecnologias são gerais. Mais que isso, comenta-se a crescente distância entre as famílias e as escolas – cada vez mais abandonadas com os alunos. Um grande fardo sem a devida remuneração: é o que apontam os estudos, onde mesmo a rede privada paga pouco – quando não abaixo do piso.

Então, às vezes a rede pública pode ser preferível à rede privada. Mas, no balanço geral, quais suas vantagens e desvantagens? Confira a seguir!

VANTAGENS E DESVANTAGENS DE SER PROFESSOR DE ESCOLA PÚBLICA

A realidade pode ser difícil – como dito acima, os relatos de agressão por alunos, de descaso com direitos trabalhistas (como a atualização do salário, em respeito aos planos de carreira) e com a má infraestrutura repercutem muito. Junto a isso, vem o preocupante número de professores que adoecem. Não é à toa, portanto que existam tantos professores desmotivados.

Ainda assim, é inegável que a estabilidade do emprego – onde a exoneração, só por justa causa, é rara –, além da aposentadoria diferenciada (sem fator previdenciário) chamam a atenção. Estabilidade que também se vê na possibilidade de formação continuada, estimulada e apoiada pela maioria das escolas públicas.

Nem tudo são lágrimas: encontrada uma boa escola, não se perde tanto nem em qualidade, nem no salário, se comparados à média da rede privada. O que só essa rede tem a oferecer? Veja abaixo!

PARTICULARIDADES DA REDE PRIVADA

Ao que os estudos indicam, os resultados das escolas particulares se devem à origem dos alunos: em geral, eles são mais acostumados à atividades extraclasse, absorvem bem a escolarização e ainda aproveitam o chamado “efeito dos pares” – onde aprendem mais devido ao estímulo e contribuição dos demais alunos.

Em resumo, entende-se que muitos problemas são comuns a ambos os lados. A rede privada tende a “surfar” na origem vantajosa dos alunos, investindo abaixo do necessário na formação dos professores – o que justifica o resultado dos estudos acima, aquém da média internacional. Esse baixo investimento no aperfeiçoamento dos professores, também afeta a rede pública – que já enfrenta dificuldades ao pagar as horas de planejamento e correção de aulas.

Ser professor é mergulhar numa realidade complexa e multifacetada – cheia de certezas e contradições, seja como professor de escola pública, seja de particular. Cada um desenvolve suas próprias experiências: comente aqui no post sua visão sobre o assunto e nos permita conhecer as suas histórias!

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome