Parques municipais são opções de lazer para os mogianos durante o final de ano

0
218
SB post

Passado o Natal, os mogianos que não viajaram nos dias que antecedem o Ano Novo tem boas opções de lazer gratuito na cidade. Os parques Centenário e Leon Feffer oferecem amplo espaço verde, pistas para caminhada e quadras para a prática de esporte ao ar livre. Os interessados também podem fazer churrasco e aproveitar o início de verão em um clima descontraído com a família. Os dois espaços funcionam desde às 7 horas e, com o horário de verão em vigor, são utilizados pelas pessoas até por volta das 19 horas, quando o dia ainda está claro.

O secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Daniel Teixeira de Lima, diz que nesta época do ano muitas pessoas viajam e o movimento nos parques acaba se estabilizando: “Temos um cuidado muito grande com os dois parques, realizando um trabalho de manutenção contínuo, o que assegura às pessoas espaços arborizados, com plantas e espaço para caminhadas. A Guarda Municipal também está presente nos parques, garantindo a segurança dos frequentadores”, observa.

Com 21,5 hectares de área, o Parque Centenário conta com quatro lagos, pontes flutuantes em estilo oriental (que são apenas ornamentais e foram fechadas ao público), a Praça do Imigrante, o espaço Bom Odori-Samba e o pavilhão das bandeiras, entre outros. Os frequentadores que percorrem as trilhas já se acostumaram a ver espécies como quero-queros, sabiás, saíras, socós, corujas e garças, além de saguis. O Centenário fica na Avenida Francisco Rodrigues Filho, s/nº, em Cézar de Souza.

Já o Parque Leon Feffer possui 26 hectares, localiza-se no distrito de Braz Cubas e conta com equipamentos para atividades físicas e artísticas. São quiosques, campo de futebol, campo de futebol de areia, quadras poliesportivas, quadras de voleibol, pista de skate, playgrounds, lago e trilha para caminhada. O parque possui uma rica vegetação que margeia o Rio Tietê, conhecida como mata ciliar. Entre as espécies encontradas estão ipês, maricás, ingás, aroeiras, angicos, araçás, cambucis e figueiras-brancas. A fauna local inclui várias espécies de aves, capivaras e ratões-do-banhado.

Há um mês, o Leon Feffer recebeu um conjunto de brinquedos inclusivos doados pela empresa de panificação Bimbo. O projeto tem como objetivo oferecer qualidade de vida e acessibilidade às crianças com deficiência, na faixa etária de 3 a 12 anos. A área conta agora com um balanço frontal, um gira-gira, um carrossel e uma gangorra, todos adaptados para cadeirantes.

Parque Municipal

A Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente abrirá, na segunda semana de janeiro, as inscrições para as visitas monitoradas ao Parque Natural Municipal Francisco Affonso de Melo Freire – Chiquinho Veríssimo. A programação das visitas segue uma sequência já conhecida e inclui a recepção das pessoas, uma palestra sobre o ecossistema da reserva e em seguida a trilha, que é percorrida com o apoio de monitores.

O secretário Daniel Teixeira de Lima lembra que, em 2018, haverá mudanças na programação. A principal delas é que todos os participantes das visitas terão que apresentar o comprovante de vacinação contra a febre amarela antes de fazer as inscrições. A idéia é manter o calendário de dois eventos do tipo por mês, com até 120 vagas abertas em cada edição.

O passeio é uma oportunidade para os mogianos reverem o parque, que foi um espaço urbano muito conhecido nas décadas de 70 e 80 e se transformou em uma unidade de conservação e educação ambientel. “Há também paulistanos e moradores de cidades vizinhas que se inscrevem para ter contato com a natureza. Enfim, é um público variado e que caiu no gosto das pessoas”, observa o secretário.

A trilha é considerada de média complexidade e os participantes podem ver algumas das 300 espécies nativas de vegetação existentes no parque, algumas curiosas, como as microrquídeas. Além disso, com um pouco de sorte, também é possível avistar animais.

O Parque Natural Municipal tem 352,3 hectares de área e abriga 300 espécies de vegetação. No local, já foram identificadas quase 300 espécies de aves – quase o mesmo que em toda a Europa, além de 40 espécies de mamíferos. O reconhecimento do parque como unidade de conservação, desde 2009, permite que a área receba recursos provenientes de compensações ambientais por obras que tragam impacto natural em Mogi das Cruzes e região.

O Parque Municipal fica na Serra do Itapeti, que vem sendo objeto de uma importante ação da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente. A meta é transformá-la em uma Área de Preservação Ambiental (APA), trabalho que já vem sendo realizado em conjunto com a Fundação Florestal de São Paulo – ligada à Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Com um total de 5,1 mil hectares, a serra é um patrimônio natural de Mogi das Cruzes e a sua transformação em trará benefícios para a cidade, como aumento na arrecadação de ICMS, a inclusão da área como região de fiscalização ambiental e de patrulhamento permanente da Polícia Ambiental. O secretário explica que 97% da área está dentro no município de Mogi das Cruzes, enquanto 2% encontram-se em Suzano e 1%, em Guararema. (Marco Aurélio Sobreiro)

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome