Os níveis inadequados de cloro na desinfecção de águas e a formação de trihalometanos

0
258
Os níveis inadequados de cloro na desinfecção de águas e a formação de trihalometanos
SB post

O Cloro é amplamente utilizado nos sistemas públicos de abastecimento de água por apresentar uma alta eficiência em inativar diversos microrganismos, assegurar um teor residual após a sua aplicação, pela segurança de manuseio, estocagem, transporte e pelo baixo custo de aquisição.

Apesar de ser um biocida seguro ao homem nas concentrações recomendadas para desinfecção da água (abaixo de 2 mg/L), o seu uso exacerbado em algumas condições pode gerar subprodutos da oxidação associados a efeitos carcinogênicos.

No artigo desta semana, vamos entender a formação dos trihalometanos (THM) nos sistemas de água, os limites estabelecido na PCR Nº5  e  como controlar a sua formação nos sistemas de água para garantir uma água mais segura para consumo.

O que são trihalometanos (THM)?

Os THMs são compostos de carbono simples contendo halogênios e possuem a fórmula geral CHX3, onde X pode ser cloro, bromo e iodo. Dentre os THM’s, o triclorometano (CHCl3), também conhecido como clorofórmio, é o que se forma em maior proporção na água para consumo.

Fórmula estrutural plana do triclorometano (clorofórmio):

Fórmula estrutural plana do triclorometano (clorofórmio)

Em ensaios laboratoriais o triclorometano mostrou-se carcinogênico para ratos causando tumores de fígado, estômago, rins, tireóide, intestino e reto nas cobaias.Como o metabolismo desses roedores é semelhante ao humano, existe uma suspeita de que essa substância pode ter efeitos carcinogênicos em humanos também.

Como ocorre a formação de subprodutos durante a cloração?

A formação de subprodutos durante o processo de cloração somente ocorre em dosagens muito elevadas, acima de 30ppm, a partir dessa concentração os produtos gerados no processo podem reagir com alguns compostos orgânicos levando à formação de trihalometanos (THM) na água. Dentre esses compostos orgânicos, podemos citar os ácidos fúlvicos e húmicos, resultantes da decomposição de folhas da vegetação.

Podemos sintetizar a formação dos THMs na reação esquemática abaixo:

Espécies halogenadas + Cloro livre (>30ppm) + Precursores → THM + Subprodutos

Esse cenário pode ocorrer, pois, a produção de água  nas Concessionárias deve ser contínua para atender a grande demanda pelas cidades. Com isso eventualmente em determinada etapa do tratamento, há liberação de pequenas quantidades de THM, que acabam circulando na água de consumo.

Quais os fatores influenciam a formação dos trihalometanos (THM)?

  • Concentração de cloro livre na água:

Quanto maior a dosagem de cloro (acima de 30ppm)maior será a probabilidade de formação de THM. Vale ressaltar que o cloro livre tem maior poder de formação de THM do que o cloro combinado.

  • Concentração de matéria orgânica na água:

Quanto maior a concentração de matéria orgânica e, consequentemente de ácidos húmicos e fúlvicos, maior será a formação de THM.

  • Tempo

A formação de trihalometanos não é instantânea, desse modo, quanto maior o tempo de contato entre o cloro e os precursores, maior será a probabilidade de formação dos THM.

  • Temperatura e o Potencial Hidrogeniônico (pH):

elevação da temperatura e do Potencial Hidrogeniônico (pH) aumenta a probabilidade de formação dos THM.

Quais limites a Portaria de Consolidação Nº 5, de 2017, estabelece para trihalometanos (THM)?

A PCR Nº5 estabelece em seu anexo 7 o valor máximo permitido (VMP) de 0,1 mg/L de Trihalometanos: Triclorometano, Clorofórmio (TCM), Bromodiclorometano (BDCM), Dibromoclorometano (DBCM), Tribromometano ou Bromofórmio.

Como evitar os trihalometanos (THM) na água de consumo água?

Pensando  minimizar a quantidade de químicos que chegam na nossa água de consumo e simultaneamente garantir uma água livre de microrganismos recomendamos as seguintes medidas:

  • Implementar um sistema de filtração de carvão ativado de entrada:

O carvão ativado por conta da sua estrutura porosa desenvolvida consegue absorver impurezas  orgânicas, ajudar em problemas com cor, odor e gosto na água e remover os subprodutos da desinfecção.

  • Implementar um sistema de dosagem automática:

O sistema de carvão ativado vai retirar o cloro com os demais componentes. Os sistemas de dosagem automática vão garantir que o teor de cloro livre permaneça dentro limites saudáveis, entre 0,2 e 2 mg/L, com baixa oscilação nos pontos de consumo.

O problema dos trihalometanos (THM) nas estações de tratamento:

Com o constante despejo de efluentes sem tratamento em mananciais, as concessionárias de distribuição de água utilizam maiores concentrações de Cloro no tratamento de água visando remediar essas contaminações.

Entretanto, a utilização exacerbada desses químicos, inclusive do cloro, pode gerar diversos subprodutos indesejáveis na água de consumo com os quais devemos ficar atentos.

Conheça os nossos sistemas de dosagem automática de cloro:

A Microambiental possui um sistema automatizado de dosagem de cloro que ajuda a evitar contaminações microbiológicas e evita grandes oscilações. Além disso, o sistema apresenta uma Interface web para configuração de dispositivos e manutenção remota com alerta por e-mail.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome