Tutor precisa estar preparado para proteger seu animal do barulho dos fogos de artifício

0
85
proteger seu animal do barulho dos fogos de artifício
SB post

Cães e gatos que já tenham histórico de doença cardíaca devem ter cuidados especiais nessas situações. É importante que o tutor solicite orientação de um veterinário.

É importante condicionar o cão ao som alto dos fogos diariamente, assim o estresse do animal com o ruído será cada vez menor.

As celebrações de fim de ano estão chegando e, com elas, o pânico dos cães devido aos barulhentos fogos de artifício. Nesta época do ano, a atenção aos animais de estimação deve ser redobrada. A maioria dos animais tem medo de fogos e rojões. Isso ocorre porque o barulho dos fogos de artifícios amedronta o animal, em situação de desespero, acabam fugindo de suas residências em busca de abrigo. “Nos meses de dezembro e janeiro, o índice de cães perdidos aumentam”, informa Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News (www.revistaecotour.news).

Muitos animais tentam fugir e acabam se ferindo em portões, lanças ou mesmo se enforcando nas cordas e correntes. Os animais precisam se sentir seguros, assim é necessário mantê-los abrigados em locais aonde eles possam se esconder, muitos gostam de ficar embaixo de móveis ou escadas, mas tente não deixá-los sozinhos.

“O ouvido humano pode captar sons que estão numa faixa de vibração entre 20 e 20.000 ciclos por segundo, enquanto que os cães alcançam sons entre 18 e 40.000 ciclos por segundo, portanto para eles os fogos geram um barulho realmente insuportável, deixando muitos apavorados”, ressalta Vininha F. Carvalho.

É importante condicionar o cão ao som alto dos fogos diariamente, assim o estresse do animal com o ruído será cada vez menor. Além disso, o treinamento deve ser diário e durar cerca de 20 minutos. Uma boa estratégia é fazer com que o cão se alimente ouvindo o som de fogos. Assim, irá associar à alimentação, a uma coisa positiva. O tutor deve ligar o som e em seguida oferece alimentação para o animal.

Atenção, durante os fogos:

– Evite deixar seu animal sozinho;

– Se ele precisar ficar sozinho, deixe-o em um local seguro;

– Evite fugas mantendo portões e portas fechados.

– Evite enforcamento não o deixando preso por coleiras e guias.

– Evite a automedicação, sem orientação do veterinário, pois há risco à saúde dos bichinhos.

– Cães e gatos que já tenham histórico de doença cardíaca devem ter cuidados especiais nessas situações. É importante que o tutor solicite orientação de um veterinário.

– Alguns animais toleram bem a colocação de algodões nos ouvidos para abafamento dos sons. O algodão deve ser colocado com cuidado e retirado imediatamente após o término dos ruídos.

– Portas e janelas de vidro devem ser bem fechadas na hora da queima de fogos de artifício. Fazer uso de outros sons para abafar o barulho intenso vindo de fora ajuda para que o animal fique menos conectado ao som principal. Depois, coloque uma música tranquila, que ajudará a proporcionar um ambiente mais calmo. O tutor deve agir como numa comemoração, para que ele associe o momento a coisas positivas.

– Não pegue o animal no colo, mesmo que ele peça. Isso é entendido por ele como sinal de insegurança e o nervosismo dele vai continuar ou até piorar;

– Evite posições curvadas. Esse também é visto pelo animal como um sinal de insegurança;

– Tente mostrar a ele que a situação está controlada, assegurando que ele está protegido, conclui Vininha F. Carvalho.

Website: https://www.revistaecotour.news

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome