O que pode mudar com o fim do Flash em 2020?

0
44
O que pode mudar com o fim do Flash em 2020?
SB post

O flash já foi, até pouco tempo atrás, muito importante para que os usuários da internet pudessem acessar muitos conteúdos na internet. Aliás, pode-se dizer que praticamente tudo teve o flash em sua base de criação.

De alguns anos para cá, empresas renomadas no mundo todo têm evitado ao máximo esse plugin e até disparado críticas severas contra ele, levando milhares de proprietários de sites a desativarem conteúdos provenientes deste plugin.

Há um bom tempo, muitos especialistas têm feitos críticas ruins contra um dos principais criadores de animação para navegadores.

Alguns chegaram a dizer que o adobe flash ficou para trás, em uma era onde as pessoas ainda acessavam a internet apenas pelo computador, e hoje em dia, os indivíduos acessam a internet muito mais pelos celulares.

Só que, antes que ele suma de uma vez, é importante saber o que realmente foi o flash, como ele funcionava, por que ele deixará de existir e quais empresas serão afetadas por essa mudança.

Este artigo dará todas as respostas para essas perguntas, já que um dos principais criadores de interação na internet está com os dias contados.

O que é Adobe Flash?

O flash foi, originalmente, desenvolvido pela Macromedia, mas hoje pertence a Adobe. Trata-se de uma plataforma multimídia de desenvolvimento de aplicações que podem conter áudio, vídeo, animações e que também é muito utilizado em anúncios publicitários.

É um plugin capaz de manipular vetores e gráficos que criam textos animados, desenhos e imagens, incluindo streaming de áudio e vídeo na internet.

Pelo fato de permitir um desenvolvimento rápido de aplicações de alta qualidade, além de integração transparente com outros conteúdos, o flash se tornou muito popular entre os programadores e desenvolvedores web.

Por causa disso, está presente na grande maioria dos sites, no entanto, aos poucos está sendo deixado de lado, entrando em seu lugar o HTML5.

Como funciona o Adobe Flash?

O responsável pelos conteúdos de animações criados em um site de uma fabricante de squeeze personalizado atacado usa o plugin como uma maneira de executar arquivos flash ou, como também são conhecidos, arquivos SWF.

Tem um suporte de linguagem de script, por isso, houve um amadurecimento da sintaxe de script em múltiplas variáveis para que pudesse suportar códigos orientados a objetos. 

Hoje em dia, por causa disso, pode ter sua capacidade comparada com a do JavaScript.

Inicialmente, o flash foi designado para exibir informações vetoriais bidimensionais, mas, posteriormente, sites de gráficas para impressão adesivo vinil e muitos outros perceberam que era um plugin adequado para as aplicações na internet.

Portanto, uma excelente ferramenta, na época, para streaming de vídeo e áudio e para criação de animações tridimensionais. Para isso, faz uso de gráficos vetoriais que minimizam o tamanho do arquivo.

Como consequência disso, criam arquivos que economizam largura de banda e também tempo de carregamento. 

Também é um formato muito comum para jogos, animações e páginas web. Está embutido em alguns navegadores e pode ser usado como plugin em outros, como:  

  • Mozilla Firefox;
  • Konqueror;
  • Opera;
  • Safari;
  • Internet Explorer.

Em se tratando de uma plataforma tão utilizada para criação de animações em sites, como de restaurantes que oferece jantar a luz de velas, por que, então, ele será desabilitado?

Por que o Adobe Flash será desabilitado

Além das críticas mais severas que tem recebido nos últimos anos de diversas gigantes da tecnologia, o adobe flash tem demonstrado alguns problemas que levaram a empresa desenvolvedora a optar pelo seu fim. E dentre esses problemas estão:

O flash não é seguro

Esse é o argumento que baixa qualquer defesa que alguém tenha a favor do flash. São frequentes os relatos de vulnerabilidade e falhas de segurança identificadas no plugin.

Os ataques, além de serem perigosos, podem atingir muitas pessoas. Isso porque, pode-se dizer que é imensurável a quantidade de pessoas que acessam jogos e páginas na internet, como sites de empresas de salgados para aniversário que utilizam o flash.

Por exemplo, os kits exploits (pedaços de software que se aproveitam de falhas), exploraram o flash em inúmeros casos. 

Além disso, os hackers conseguem identificar muitas falhas, antes mesmo que os desenvolvedores encontrem.

Mesmo que tais falhas sejam rapidamente corrigidas com atualizações, elas são muitas e isso é muito preocupante. Tudo porque uma única brecha sempre acaba por escapar aos olhos dos criadores.

Só que o flash, assim como diversos outros plugins, permite que as páginas rodem scripts complexos, ao mesmo tempo em que acessa a memória do computador. Isso facilita que hackers o usem para o mal, controlando a máquina de alguma maneira.

Mas, além desses problemas, a falta de segurança também está atrelada à demora dos usuários para fazer as atualizações. Isso porque nem todos eles baixam as novas versões em tempo hábil.

Como resultado, as versões antigas abrem uma brecha para que a população seja mais vulnerável aos ataques cibernéticos.

O flash é um plugin consumista

Uma das gigantes da tecnologia criticou o Adobe Flash dizendo que ele consome muita bateria dos aparelhos móveis para rodar conteúdos. Por isso, criadores de sites de empresas de aluguel de equipamentos audiovisuais estão usando o HTML5.

Apesar de exibir sites complexos e com muitos recursos, o plugin só consegue fazer isso consumindo quase toda a bateria dos aparelhos. 

E, atualmente, os usuários praticamente só acessam a internet por telefones celulares.

Por isso, quem pretende usar tablets e smartphones por muito tempo fora da tomada, acaba ficando sem bateria, se acessar conteúdos rodados com o flash. 

Inclusive, tal circunstância levou o Chrome a criar um filtro de “conteúdos desnecessários”.

Um teste realizado mostrou a diferença de conteúdos rodados em flash e em HTML5. Como resultado, notou-se que a plataforma da adobe consome o dobro de processamento da CPU, mais a memória RAM, além de elevar a temperatura dos dispositivos.

É um plugin antiquado

Um dos piores problemas do flash é o fato de que ele não se adequa a comandos touch, ou seja, telas sensíveis ao toque como as encontradas em todos os aparelhos móveis modernos.

Por isso, criadores de sites de lojas de tendas 3×3 estão optando por outros formatos, para garantir a melhor experiência aos usuários.

Outro fator que leva, principalmente empresas, a optarem pelo HTML5 ou qualquer outra opção, é o fato de que o flash não é um bom amigo dos mecanismos de busca, como o Google.

Mesmo que as empresas apliquem as melhores estratégias em SEO e utilizem as palavras-chave corretamente, o plugin não permite que o buscador extraia todas as informações de determinada página.

Por isso, se uma pessoa pesquisar recepcionistas para eventos na internet, encontrará resultados apenas de sites que já não usam o flash em todos os seus conteúdos. 

Mas mesmo com tantos problemas, é importante pensar antes de encerrá-lo.

Quem será afetado pelo fim do Adobe Flash?

Apesar de todos os esses problemas, o flash ainda é muito utilizado na internet. A transição é muito lenta e muitos desenvolvedores ainda não dominam outras opções. Para se ter uma ideia, muitas plataformas de streaming não pensaram, ainda, numa solução.

No entanto, os maiores problemas podem afetar sites menores, de empresas menores. 

Esses sites, ao contrário do que acontece com sites de limpeza para eventos, não são atualizados o tempo todo e não possuem uma equipe atenta às falhas.

Esses endereços da web podem demorar anos ou simplesmente nunca migrarem para outras opções. Além disso, muitas máquinas ao redor do mundo têm seus navegadores desatualizados.

Isso significa que desabilitar o flash repentinamente impediria que muitas pessoas acessassem a internet, o que acabaria por prejudicar tanto os donos de sites, quanto os usuários.

De qualquer forma, estamos falando de um plugin que roda vídeos, jogos e animações, desde 1996. 

Ele evoluiu muito com o passar do tempo, mas acabou por se tornar uma plataforma insegura e cheia de problemas nos tempos atuais.

Com as mudanças comportamentais dos usuários e na maneira como eles acessam conteúdo na internet, o flash acabou se tornando, definitivamente, uma plataforma obsoleta e sem serventia para as novas necessidades dos usuários.

No entanto, novos recursos como o HTML5 e o WebGL trazem uma maneira mais segura e moderna de realizar as mesmas funções que o flash. Por isso, se tornarão os mais utilizados pelos desenvolvedores e empresas em geral.

Pode parecer triste que uma plataforma tão utilizada esteja sendo desabilitada, no entanto, assim como muitas outras tecnologias, o flash está sendo substituído para trazer aos usuários da internet mais segurança e qualidade durante o tempo em que estiverem conectados. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome